domingo, 23 de dezembro de 2007

Olá, Zé!

Uma oração não precisa necessariamente ser longa. Gostei demais dessa mensagem. Por isso estou deixando aqui para vocês.
Ao meio-dia, um pobre velho entrava numa Igreja e, poucos minutos depois, saía.Um dia, o sacristão perguntou-lhe o que vinha fazer, pois havia objetos de valor na Igreja.

- Venho orar, respondeu o velho.

- Mas é estranho que você consiga orar tão depressa! - disse o sacristão.

- Bem, retrucou o velho, eu não sei recitar aquelas orações compridas.Mas, diariamente, ao meio-dia eu entro nesta Igreja e só falo:"Oi, Jesus! É o Zé!"E em um minuto, já estou de saída.É só uma oraçãozinha, mas tenho certeza de que Ele me ouve.

Alguns dias depois, o Zé sofreu um acidente e foi internado num hospital. Na enfermaria, passou a exercer uma grande influência sobre todos. Os doentes mais tristes tornaram-se alegres, e muitas pessoas arrasadas passaram a ser ouvidas.

Disse-lhe, um dia, a Irmã:

- Os outros doentes falam que foi você que mudou tudo aqui na enfermaria. Eles dizem que você está sempre tão alegre...

- É verdade, Irmã, estou sempre alegre. É por causa daquela visita que recebo todos os dias, trazendo-me felicidade.

A Irmã ficou atônita. Já notara que a cadeira encostada na cama do Zé estava sempre vazia. Ele era um velho solitário.

- Que visita? A que horas?

- Diariamente, ao meio-dia - respondeu o Zé, com brilhos nos olhos. Ele vem, fica ao pé da cama. Quando olho para Ele, sorri e diz:"Olá Zé! É o Jesus"

Um comentário:

  1. Elba, excelente a estória do Zé, pois, ter fé e acrditar no que não se pode ver. Confesso que meus olhos lacrimejaram.

    Obrigado. Abraço, Ricardo

    ResponderExcluir

É sempre muito bom receber sua visita.
Se quiser deixar um recadinho, ficarei feliz.
Volte outras vezes.
Beijo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...