quarta-feira, 7 de setembro de 2011

07 de Setembro, Dia de Pensar





Dia desses recebi um email muito interessante que falava da disposição do brasileiro em se deslocar de longe, em se mobilizar em números estratosféricos para coisas como: Marcha da Maconha, Parada Gay, Dia contra Homofobia, Marcha das Vadias, Marcha Disso, Parada Daquilo, Dia Daquilo Outro.
Pergunta-se: quando é que vamos nos mobilizar contra a Corrupção, contra Deputados Analfabetos, contra Dinheiro na Cueca, contra Rico Pode Tudo e Pobre Nada, contra Violência, etc, etc, etc...
Eu poderia ficar aqui enumerando algumas atitudes pelas quais poderíamos nos mobilizar. Mas sei que esse é um assunto chato e hoje, Dia da Independência do Brasil, temos mais é que comemorar, não é mesmo?
Bom, quem quiser que comemore, porque eu não tenho mais vontade de comemorar o fato de ser brasileira. 
Hoje vou me vestir de preto conforme fui convocada por outro email. Preto de luto. Luto por um Brasil que não respeita a natureza, o índio, o povo lá dos quintos dos infernos que luta contra os poderosos para que não cortem árvores e acabam sendo mortos de tocaia. Luto por um um Brasil onde o salário mínimo não dá pra uma pessoa sobreviver por um mês, que dirá pra uma família inteira.Luto por um Brasil onde um analfabeto é diplomado Deputado Federal e ganha uma fábula por mês às nossas custas, enquanto quem estuda anos e anos, não tem trabalho bem remunerado.Na maioria das vezes nem trabalho tem! Luto por um Brasil onde pessoas morrem por causa de bondinhos que não deveriam mais estar por ali.Luto por um Brasil que é tão rico e que tem um povo tão pobre. Luto por um Brasil que não tem políticas públicas suficientes e eficientes pra tantos problemas. Luto por um Brasil onde ser honesto é ser palhaço e virar piada pra colegas de trabalho.Luto por um Brasil que não tem olhos pros milhões de viciados em crack e outras drogas e qua ainda distribui cachimbo pros viciados do DF fumarem seu crack (inacreditável, mas é verdade. Eu também fiquei com muita raiva quando vi a reportagem). É esse o tipo de política pública nesse Brasil.
Não sou contra a parada gay, nem contra a marcha contra a homofobia, nem contra a marcha das vadias. Contra a marcha para a liberação da maconha, eu sou, sim. Não tenho nenhum tipo de preconceito contra gays, lésbicas, quem fuma maconha, quem cheira, quem inala. Tenho pena dos viciados em drogas mortais (não ilegais, mortais!).Tenho náusea de pessoas que têm algo contra gays.
Mas sinto tristeza e raiva quando vejo que o Brasil que é tão grande, tão rico, tão admirado pelos de lá de fora,  continua o mesmo de 189 anos atrás...Não mudou muita coisa, não...

\0/Beijo e aproveite seu feriado pra ir passear na pracinha com as crianças.\0/
Pin It

À semelhança do processo de independência de outros países latino-americanos, o de independência do Brasil preservou o status quo das elites agroexportadoras, que conservaram e ampliaram os seus privilégios políticos, econômicos e sociais. (Wikipédia)

Um comentário:

  1. Elba,

    voce é muito inteligente.
    Seua Blog e excelente.
    Parabens pelo artigo de hoje e sua transparencia.
    Bjs

    ResponderExcluir

É sempre muito bom receber sua visita.
Se quiser deixar um recadinho, ficarei feliz.
Volte outras vezes.
Beijo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...